Quinta, 06 Fevereiro 2020 14:50

Reajuste para policiais e bombeiros do DF avança no Congresso

Projeto, que está na Comissão de Orçamento, aguarda designação de relator. Previsão é dar aumento de 8% para civis e de 25% aos militares

O projeto de lei que prevê reajuste salarial para policiais civis e militares e bombeiros do DF começou a tramitar, nessa terça-feira (04/02/2020), na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização do Congresso Nacional. A matéria chegou à Casa durante o recesso parlamentar. O PL do Congresso Nacional nº 01/2020 altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias para incluir previsão de recomposição salarial às carreiras mantidas pelo Fundo Constitucional. Documento que acompanha o PL e é assinado pelo secretário executivo do Ministério da Economia, Marcelo Pacheco dos Guaranys, cita que o impacto será de R$ 505 milhões.

São R$ 140,68 milhões referentes ao aumento de 8% para policiais civis. Outros R$ 364,29 milhões dizem respeito ao reajuste de 25% que deve ser aplicado na Vantagem Pecuniária Especial (VPE) de PMs e bombeiros. A expectativa é de que a elevação do benefício dos militares resulte em salário líquido igual ao dos policiais civis. O PL abriria caminho legal para conceder o reajuste. Mas representantes das categorias e técnicos avaliam que, após a aprovação do projeto, seria necessária outra medida para a efetivação do aumento. Próximos passos A proposta já conta com calendário. A estimativa é de que as emendas sejam apresentadas de 8 a 17 de fevereiro.

A aprovação do relatório e o encaminhamento da matéria à Mesa do Congresso Nacional devem ocorrer entre 23 de fevereiro e 8 de março. Também será aberto prazo para recebimento de emendas ao projeto, que aguarda designação do relator. O relatório e as sugestões precisam de maioria simples para aprovação no colegiado. Caso receba aval dos parlamentares, o parecer da comissão é enviado ao Congresso, que deve apreciar o PL em sessão conjunta. Nesse caso, também é preciso de votação favorável da maioria simples. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a assinar uma medida provisória a fim de reajustar os salários das forças de segurança do DF, mas voltou atrás e decidiu dar andamento à pauta por meio de PL.

As categorias acompanham atentas cada passo desse processo. O aumento de 8% não é visto como ideal, pois os policiais civis queriam aumento de 37% para manter a paridade com a Polícia Federal. E os PMs cobram tratamento igualitário.

Fonte: Metrópoles.com