Quarta, 09 Outubro 2019 13:12

Bolsonaro e Ibaneis são pressionados a dar aumentos à PM e CBMDF

Nove parlamentares da bancada da bala na Câmara dos Deputados emitiram ofícios nos quais pedem envio de proposta de reajuste das corporações.

 O pedido de aumento salarial para servidores da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) entrou na pauta da Frente Parlamentar de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, conhecida como bancada da bala. Nessa terça-feira (08/10/2019), um grupo de parlamentares emitiu documentos nos quais solicitam ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) envio da proposta de reajuste remuneratório das categorias e ao governador Ibaneis Rocha (MDB) “gestões junto à Presidência da República” para esse fim.

Os ofícios 95/2019 e 96/2019, direcionados aos chefes do Executivo nacional e local, citam que os militares da capital da República são organizados e mantidos pela União. Os documentos dizem que o Projeto de Lei nº 1.645/2019, a reforma da Previdência das Forças Armadas, prevê as mesmas regras para os militares brasilienses, mas não há, para eles, compensação nos salários. Os servidores locais temem receber menos caso a proposta seja aprovada.

“Esta categoria do Distrito Federal passa a figurar com considerável desequilíbrio de suas garantias, em especial em razão da falta de reajuste remuneratório há praticamente meia década”, dizem os ofícios.

Não há menção ao percentual de reajuste, mas a ideia é que haja simetria com o aumento reivindicado para a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), de 37%, segundo o coordenador de Assuntos Legislativos da Frente Parlamentar, Capitão William Miller.

A solicitação de aumento dos policiais civis foi enviada em fevereiro ao governo federal por Ibaneis, mas não caminhou na Esplanada desde então. Tanto que o sindicato que representa a corporação, o Sinpol-DF, pediu o reajuste a Bolsonaro nesta semana.

Miller frisou que quem mandaria ao Congresso o aumento da PMDF e do CBMDF é o presidente da República, mas houve “deferência” com o governador. “Ele é o primeiro a gerir as corporações”, explicou.

Assinaram os pedidos: o presidente da bancada, Capitão Augusto (PL-SP); Policial Katia Sastre (PL-SP); Guilherme Derrite (PP-SP); Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM); Sargento Fahur
(PSD-PR); Da Vitória (Cidadania-ES); Daniel Silveira (PSL-RJ); Subtenente Gonzaga (PDT-MG); Capitão Wagner (Pros-CE); e Miller.

imagem 1

imagem 2
Fonte: Metropoles